Um blog com conteúdos exclusivos sobre como soluções em cloud otimizam a produtividade e reduzem custos na sua empresa!
Retorno sobre investimento: como medir os benefícios da cloud computing

Retorno sobre investimento: como medir os benefícios da cloud computing

Ao investir na computação em nuvem, muitas empresas se deparam com benefícios da cloud computing de forma imediata ou em pouco tempo de permanência, comprovando o fato de ser uma tecnologia responsável por qualificar as atividades da empresa e adequar as tarefas de cada profissional para as demandas de mercado.

Porém, além dos benefícios previstos e das mudanças visíveis, para que a cloud computing realmente seja um aprimoramento relevante na instituição e contribua para os serviços, é preciso acompanhar o desenvolvimento, usos e resultados da tecnologia, garantindo que o serviço continue vantajoso durante os anos.

Para ajudar a medir os benefícios da cloud computing e entender melhor como acompanhar e aproveitar os oferecimentos da tecnologia, confira alguns pontos que ajudam a mensurar resultados e aplique desde já!

1. Levantamento dos custos da empresa

Para conseguir comparar números e atuação é preciso levantar informações comprovativas sobre a empresa. Assim, é ideal analisar 3 formas de custos:

Custo das atividades antes da cloud computing

Análise de todos os gastos que a empresa tinha antes de adotar a computação em nuvem. Nessa etapa é preciso considerar desde o valor final de produtos e serviços até as etapas de desenvolvimento e áreas envolvidas.

Como exemplo, basta pensar nos setores que participaram da elaboração do produto, como desenvolvedores, planejadores, montadores, transportadores e demais profissionais. Além disso, também é possível considerar atividades indiretas, como o setor de marketing com campanhas de divulgação, vendedores que captam clientes ou mesmo os administradores responsáveis pela aplicação de todas as estratégias.

Custo da migração

A seguir, é interessante calcular como se dá o custo da migração para a nuvem, considerando pontos básicos como:

  • Despesas com a integração da nuvem aos equipamentos da empresa;
  • Pagamento do serviço de acordo com as necessidades de melhorias ou ampliação;
  • Custo com monitoramento;
  • Eventuais adaptações da rotina de funcionários e possíveis treinamentos.

Todos os detalhes que envolvem a transição para a cloud computing devem ser calculados, ajudando tanto na estabilidade posterior da empresa quando na melhor visualização do investimento.

Dados com valores após a migração

Por fim, é indispensável ter controle e mensurar os dados da empresa após a migração para nuvem, com informações que poderão ser usadas para comparar dados e entender em quais setores a cloud computing realmente faz diferença.

Com essas 3 captações, o primeiro passo para entender os benefícios da cloud computing já está encaminhado, direcionando os responsáveis para as próximas etapas!

2. Identificação das principais mudanças

Depois de levantar as informações, é hora de juntar as 3 categorias e analisar comparativamente, para isso é interessante seguir a ordem de:

Verificação das diferenças com cloud computing

Estudar quais os principais pontos de destaque com a implementação da cloud computing, identificando quais as áreas mais afetadas, como os trabalhos das equipes foram modificados e entender como os profissionais sentiram tal mudança.

Para isso, é interessante partir dos números e, também, das impressões de cada colaborador, entendendo quais os impactos da cloud computing nos setores da empresa.

Comparação com dados anteriores

Após, é interessante realizar a comparação entre os dados coletados, verificando quais as melhorias da nuvem e a redução de custos.

Para isso, é possível utilizar softwares de gestão e cruzamento de dados, que realizarão a estatística dos trabalhos até determinado período e pontuarão o gráfico de atividades e desempenho da empresa antes e após o uso da cloud.

Leia também:  Quiz: os sistemas e dados da sua empresa estão seguros?

Além disso, é necessário considerar essa comparação de acordo com o momento da empresa, ou seja, considerando a época de investimento inicial, de adaptação, momentos já estáveis, de crescimento da empresa e demais períodos que podem interferir nos dados.

Quer levar os sistemas e aplicações da sua empresa para a nuvem sem complicações?
Otimizamos sua infraestrutura através de soluções robustas e totalmente aprimoradas para facilitar a sua vida. Converse com nossos especialistas em soluções em cloud!

3. Definição de KPIs e ROI

Com o resultado das comparações, é hora de definir os KPIs (Key Performance Indicator) e o ROI (Retorno sobre Investimento), que podem ser tratados como:

ROI – Retorno

O ROI é basicamente o ganho da empresa após a aplicação do serviço de melhoria, considerando os dados pelo investimento inicial e o valor de retorno. É a partir do ROI que torna-se possível visualizar a mudança da cloud computing para os custos e lucro da empresa, comprovando (ou não) o crescimento financeiro.

Para isso, é recomendável seguir a fórmula:

ROI = lucro/custo do investimento X 100

A fórmula apresentará de forma concreta todo o valor de retorno pela cloud computing, porém, o número não deve ser considerado como um valor categórico, é preciso analisá-lo em conjunto com todas as motivações que influenciaram no resultado.

KPI – Key Performance Indicator

O KPI é o indicador de desempenho, ou seja, os conceitos principais que devem ser medidos em uma empresa após mudanças internas, crescimento e adaptação de suas atividades.

Para medir os benefícios da cloud computing de forma qualitativa, é bom pensar nos principais KPIs, que podem seguir exemplos como:

  • Indicador de eficiência: verificando se a cloud computing diminuiu o tempo de desenvolvimento dos trabalhos e manteve ou aumentou a quantidade de entregas;
  • Indicador de qualidade: identificar se houve melhorias nos trabalhos das equipes, na qualidade de produtos e/ou serviços ou mesmo nas atividades internas;
  • Indicador de lucratividade: focando no ROI da empresa e na diferença de valores antes e depois da cloud.

Além desses KPIs, cada acompanhamento pode optar ou criar outros pontos de observação, adequando as análises de acordo com a empresa, atuação e pontos de destaque apresentados pela gestão.

4. Planejamento para os próximos anos

Por fim, para que os benefícios da cloud computing sejam realmente comprovados, é preciso considerar desde os resultados atuais até as possibilidades de uso futuras.

Como a cloud computing é escalável e adaptável de acordo com as necessidade de uso da empresa, é interessante considerar a tecnologia como planejamento futuro, ou seja, pensar nas posições da empresa para os próximos anos e entender como o serviço pode ser aplicado, comprovando que os benefícios podem se estender e ampliar de acordo com o desenvolvimento da instituição.

Todos esses pontos ajudam a comprovar os benefícios da cloud computing de forma concreta. Assim, é importante mensurar os resultados de maneira constante ou mesmo programada, como de 3 em 3 meses no início, semestralmente ou em momentos que a empresa considerar relevante.

Com essa mensuração, é possível não apenas comprovar os benefícios, como acompanhar o desenvolvimento e influências da tecnologia, ajudando a direcionar os trabalhos da empresa e o negócio a se destacar.

OptiData

Segurança, disponibilidade e otimização: a Optidata oferece soluções em cloud sob medida para a sua empresa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *